Turismo de Base Comunitária
no Cabula e Entorno

 

PONTO DOS MACACOS E CURVA DA MORTE: CURIOSIDADES DO TANCREDO NEVES, ANTIGO BEIRU

 

Para conhecer a história do bairro Tancredo Neves - antigo Beiru é necessário conhecer as histórias daqueles que moram lá. Maria Felicia Nascimento Alves tem 70 anos, é professora aposentada e nos conta algumas modificações que ocorreu no bairro nesses 60 anos como moradora.

 Iniciamos nossa conversa discutindo sobre a mobilidade urbana do bairro e da cidade, Tia Felicia conta que “O ônibus vinha até o Cabula, 19 BC, de lá pra cá a gente vinha andando. De lá até cá era caminho, estrada de chão, tinha muita mata, muita mangueira, aqui era fazendas”.  Ao longo dos anos algumas modificações foram ocorrendo, “mais tarde vinheram, Dionísio (ex-vereador), Jovenal. O Dionísio fundou a associação de moradores, ai foi que começou vim asfalto, na época de Roberto Santos, a água demorou. Primeiro veio à devastação, pavimentação, foi uma coisa que foi muito devagar”. “Pra começar a construir primeiro veio o pessoal que comprou os lotes, foram dividindo, vendendo os lotezinhos foi que ai começou o desenvolvimento do bairro”.

Imagens: Arquivo pessoal Tia Felicia

 

Ao longo da entrevista Tia Felicia relata sobre a mudança do nome do bairro e afirma que: “O nome era Beiru, aí com o passar do tempo e que teve uma convocação e mudou o nome para Tancredo Neves, um plebiscito, onde todos nós votamos se queria ou não, eu trabalhava com Dionísio, era voluntária, ajudava ele né? Desde quando vim morar aqui eu era funcionária publica, já era do Estado há muitos anos”. “Na época, o Dionísio em comunhão como os associados fizemos uma reunião e foi na época da Morte de Tancredo Neves... Muita gente não queria quem morava lá, no final de linha não aceitava, lá sim, era uma oposição, e quem morava no lado de cá queria, mas quem venceu foi à turma daqui. Foi uma votação e ficamos em maior número. Teve pouca oposição, mas nós vencemos. Por que botar o nome Tancredo Neves, se nem daqui esse homem é? Teve essa polemica toda, mas eu sei que... A maioria achou que deveria que seria um presidente digno”.

Outro ponto curioso do bairro é sobre os nomes das praças e das ruas. Quando indagada do porquê nome “Praça Do Anjo Mal” Tia Felicia responde que: “Histórias que os antepassados passaram e contaram, de forma que o povo acreditava, o mal quer dizer aquele anjo que amedrontava, tipo uma encruzilhada, então botaram anjo mal...O povo ficava pensando que realmente tinha alguma assombração. Disseram também que, bem antes dessa descoberta do bairro tinha muitos macacos,  normal, era sagui, aqui tinha muito cajueiro e tinha muito sagui, então botaram ponto dos macacos. Quem vem pro Tancredo Neves tem que saber onde foi o ponto dos macacos, a curva da morte, anjo mal... Outro caso, porque a curva da morte devido a quantidade de acidentes recebeu esse nome aí.”

“[...] Depois que o Roberto Santos chegou muita coisa melhorou [...] A primeira escola aqui do bairro do Beiru, que depois se transformou no bairro do Tancredo Neves, foi a Escola Edivaldo Fernandes, escola Estadual, a qual eu ajudei a fundação também, fui secretaria dessa época, porque antes eu trabalhava no ICEIA (Instituto Central de Educação Isaías Alves)”. “Um avanço extraordinário, o Beiru-Tancredo Neves [...]. [...] Quando eu vim praqui, principalmente pra desbravar eu pensei: Meu Deus do céu! Eu vim da roça pra morar na roça!” E hoje podemos testemunhar o crescimento, o desenvolvimento que o bairro carrega.

 

Por: Adriele Conceição

Késsia Santiago

 

Canal TBC