Turismo de Base Comunitária
no Cabula e Entorno

“Esse trabalho manual para gente fazer, a gente tem que gostar, tem que ter amor”

 

Valdemira Batista dos Santos, conhecida como Val, é natural de Salvador, moradora do bairro de Saboeiro, casada e mãe de uma menina. Ela entrou no Cultarte este ano, há uns dois meses, embora conhecesse a UNEB. Soube do Cultarte, através de sua irmã que trabalha na UNEB, e apresentou a pessoa responsável pelo projeto (professora Francisca de Paula). Val ver o Cultarte, como uma oportunidade de divulgar o próprio trabalho. Quer se aperfeiçoar mais, se aprofundar mais na arte, e contribui para a organização do Cultarte pela tarde.

Ela nos conta que, o artesanato entrou na sua vida, por meio de bordados que aprendeu a fazer com sua mãe. Além disso, sabe costurar. Fez vários cursos pelo Senac, SESC e outros lugares. A mesma relata que ter feito diversos cursos de artesanatos, foi gratificante, “é uma coisa que eu gosto muito de fazer”. E diz mais, quando uma pessoa gosta da arte (o artesanato), sempre tem tempo para poder fazer seus produtos.

 

Imagem concedida de arquivo pessoal

 

Val trabalha, com crochê, com estampas em camisas, podendo ser em came/TNT e vários outros tecidos. Ao falar sobre pintura ela nos diz que: “gosto muito da pintura, gosto de ver qualquer desenho e colocar na camisa”. Trabalha com encomendas, via telefone, além desses trabalhos, ela já trabalhou com fuxico e panos de pratos.

Ao falar sobre investir dinheiro e tempo para dedicar ao artesanato, ela afirma que, vale a pena investir no artesanato, podendo demorar, mas sempre vai ter um retorno, em relação ao lucro que vem depois. “Quando você para, para juntar um dinheirinho para comprar os materiais, para fazer certo tipo de artesanato, claro que consequência do seu trabalho que você fica desenvolvendo”

 

Ela ver o próprio trabalho como algo muito importante, pois, há um prazer em mostrar as pessoas o que é capaz de fazer. Diz que o artesanato faz parte na vida cultural e na vida cotidiana. “O artesanato é muito importante, na vida de qualquer pessoa, assim, que se dedique naquele dia você só vai ter gasto, não vai ter lucro. O lucro vai ser com uma a ele, porque é uma coisa que quando começa a fazer, a gente fica naquela, assim, como eu, fico ansiosa para ver o final”.

 

 

 

Por: Ana Paula Silva